GUARDA MUNICIPAL TIRA CEL PM DO COMANDO

A LUTA NÃO PÁRA AQUI - GUARDA MUNICIPAL TIRA CEL PM DO COMANDO

AI  ESTÁ O EXEMPLO VIVO QUE A LUTA NÃO PÁRA AQUI, VAMOS CONTINUAR NOSSA LUTA INSISTENTE PELA REGULAMENTAÇÃO DAS GUARDAS MUNICIPAIS, COMPLETAMENTE DESMILITARIZADAS POR TODO O BRASIL.

EM CURITIBA/PR, A CATEGORIA PAGOU UM ALTO PREÇO PARA O PREFEITO RECONHECER A INCOMPETÊNCIA E MÁ GESTÃO QUE OCORREU POR VÁRIOS ANOS NO COMANDO DA GUARDA MUNICIPAL, NOSSOS IRMÃOS, NAQUELA CIDADE, PAGARAM COM A PRÓPRIA VIDA.

QUE ISTO SIRVA DE ALERTA A OUTROS PREFEITOS QUE INSISTE NA IDÉIA DE TER A FRENTE DE UMA NOVA ESPERANÇA DA SEGURANÇA PÚBLICA DE SUA CIDADE,UM CORONEL, MAS ENFIM CAIU MAIS UM E VAMOS PERSISTIR ATÉ QUE O MUNDO INTEIRO SAIBA QUE O SISTEMA FALHOU E POR ISSO NÃO QUEREMOS FALHAR TAMBÉM!

PARABÉNS GUARDAS MUNICIPAIS DE CURITIBA!!!

POR NAVAL

GUARDA MUNICIPAL DE CURITIBA/PR INICIA DESMILITARIZAÇÃO DAS GUARDAS MUNICIPAIS E CORONEL CAI !

Demorou, mas aconteceu: Itamar caiu

O coronel Itamar dos Santos não é mais o secretário de defesa social de Curitiba. A insistente reivindicação da categoria foi atendida depois de uma série de problemas que culmiram com a morte de cinco guardas no período de um ano, além de greve e mobilizações da categoria. A notícia foi dada hoje (7), na página da prefeitura, que anuncia a nomeação de um novo secretário para o cargo, fato comemorada pela categoria.

\"A queda do coronel representa uma vitória nossa, que por diversas vezes alertamos essa administração dos problemas que estavam ocorrendo no gerenciamento do trabalho. Esperamos que as mudanças continuem para uma gestão mais democrática, no sentido de desmilitarização da corporação e valorização profissional\", diz o guarda municipal Diogo Monteiro, diretor do Sismuc.

O novo nome a assumir o cargo é do delegado da polícia civil Marcus Vinícius Michelotto. Bacharel de Direito na Universidade Federal do Paraná (UFPR), no ano de 1991, Michelotto ingressou na carreira como delegado em 1994. Passou por Campo Mourão, Foz do Iguaçu, Colombo e, mais tarde, Curitiba.

A campanha pela mudança no comando da guarda, no entanto, permanece. O sindicato mantém posição quanto à necessidade de um outra forma de gestão que garanta condições adequadas de trabalho para os guardas municipais e a prevenção para redução dos riscos da profissão. Nos próximos dias representantes de cada núcleo realizam reuniões com as chefias para detectar os pontos de maior vulnerabilidade onde serão mantidos um efetivo mínimo de dois guardas.

Fonte:  SISMUC guarda municipal do brasil

Postagens Relacionadas

0 comentários:

Anterior Página inicial Proxima
Tecnologia do Blogger.