Prefeito e vereadores de Taboão da Serra mostram como se faz


A Câmara Municipal de Taboão da Serra aprovou na madrugada desta quarta-feira, dia 11, o novo estatuto da Guarda Civil da cidade. A sessão, que começou às 18h da terça, foi uma das mais longas do ano. O projeto enviado em regime de urgência pelo prefeito Evilásio Farias quase não foi votado por falta do parecer da comissão de redação e justiça.
Salvador grisafi, secretário de segurança, fala sobre o novo estatuto da GCM
Paulo Félix diz que estatuto da GCM será bom para a categoria
Além de reajustar o piso base da categoria, que era de R$ 750, passando para R$ 1.200, o estatuto prevê um plano de carreira com promoções por tempo de serviço, além de fomentar a qualificação dos guardas. “Esperamos esse projeto por 19 anos, temos muito que agradecer ao prefeito Evilásio Farias”, disse o secretário de segurança Salvador Grisafi.
Cerca de 60 Guardas compareceram à Sessão da Câmara Municipal
Na mesma linha de raciocínio, o Comandante da GCM, Coronel Silas Santana, diz que esse era o desejo da corporação desde a sua criação, em 1991. “O estatuto nos dá a garantia de um melhor salário real, hoje existe gratificação, mas quando um GCM se aposenta essa gratificação não é incorporada. Também queremos a garantia de promoções, isso não existia. O estatuto só tem benefícios, tanto de auto-estima como financeiro”, disse.
Cerca de 60 Guardas Municipais participaram da Sessão da Câmara Municipal. Com faixas, eles pediam o apoio dos vereadores e agradeciam o projeto do prefeito Evilásio Farias. “É muito importante para nós que estamos na rua todos os dias esse estatuto, nos dá mais segurança e, claro, tranquilidade para trabalhar”, lembra o GCM Marcelo Borgatto.
Imbróglio
A sessão da Câmara Municipal parecia que acabaria cedo, mas na hora da votação das urgências, principalmente na questão do estatuto, surgiu um impasse. Os vereadores Olívio Nóbrega e Wagner Eckstein, ambos da Comissão de Constituição e Justiça, pediram um prazo para analisar o projeto e emitir o parecer.
Sem o parecer, o projeto ficou impedido de ir para votação no plenário. Muitos guardas se revoltaram, gritaram e vaiaram. “Não posso dar o parecer sem antes analisar o projeto, temos que ter esse cuidado, inclusive para o bem da corporação”, disse Olívio Nóbrega. “Tenho seis mandatos na cidade, não vou votar nada na pressão, tenho compromisso com a população que me elegeu”, completou.
Os vereadores se reuniram por mais de quatro horas para analisar o projeto. Os vereadores Olívio e Wagner apresentaram uma emenda, criando assistência jurídica e psicológica para a GCM, mas o projeto acabou aprovado na integra, da forma que veio do Executivo.
No final da sessão, por volta das 0h30, os Guardas Municipais comemoraram a aprovação. “Estamos mais aliviados agora”, disse Nascimento.


Enquanto isso em Ílhéus,olha o que acontece:

hein! hein! hein! hein!


Postagens Relacionadas

2 comentários:

  1. Colega, q maldade na Guarda n tem ninguém com tamanha BARRIGA, hahahahahah

    ResponderExcluir
  2. o que mais tem é politico assim!! As Guardas Municipais em todo Brasil evolui..menos aqui!! querem que a gente trabalhe mais e ganhe menos... da ate desanimo!!

    ResponderExcluir

Anterior Página inicial Proxima
Tecnologia do Blogger.