FPM é sequestrado e Ilhéus ainda fica devendo R$ 1,2 milhão



O sequestro dos recursos oriundos das receitas decorrentes das transferências constitucionais é, atualmente, uma das maiores dificuldades enfrentadas pela Administração Municipal de Ilhéus. Durante o mês agosto de 2012, as parcelas referentes ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM) sofreram sequestro em sua totalidade e ainda restou cerca de R$ 1.2 milhão referente a três precatórios em nome de herdeiros de Eustáquio Bastos, Góes Cohabita e Barreto Engenharia. Os três precatórios foram originados de dívidas contraídas e não pagas pelas administrações anteriores como a negociação da área onde hoje é o bairro Nelson Costa, a pavimentação de ruas pela construtora Góes Cohabita e Barreto Engenharia. Os débitos têm origem na década de 1980 e até hoje estão impactando as finanças do Município de Ilhéus, prejudicado com déficit para manter o custeio da máquina pública e a realização de investimentos em obras que beneficiam a população.

Postagens Relacionadas

0 comentários:

Anterior Página inicial Proxima
Tecnologia do Blogger.