Guarda Municipal de Florianópolis pleiteia helicóptero

Mesmo sem orçamento ou confirmação de chegada da aeronave, futuro piloto já recebe treinamento

 Aline Rebequi
@aline_ND
FLORIANÓPOLIS

 Projeto deve ser encaminhado nos “próximos meses”
A Guarda Municipal de Florianópolis quer, já no próximo ano, poder circular pela Capital a bordo de um helicóptero, provavelmente do modelo Esquilo, o mesmo utilizado pelo Corpo de Bombeiros de Santa Catarina. O Projeto de Formação do Grupamento Aéreo Tático da Guarda deve ser encaminhado para a aprovação nos próximos meses.
Mesmo sem a aprovação do grupamento, um servidor da guarda municipal já está com o curso prático de piloto privado de helicópteros (PPH) garantido por edital da Prefeitura, com valor estimado em R$ 21,5 mil. Já o projeto total – que inclui aquisição de uma aeronave e formação para seis guardas municipais – tem um orçamento de R$5 milhões.
De acordo com o comandante da guarda municipal, Ivan da Silva Couto, estes recursos serão buscados junto ao Governo Federal na Secretaria Nacional de Segurança Pública. “Descobrimos que eles possuem um fundo para custear este tipo de projeto e por isso elaboramos o nosso. Estamos esperando o momento certo para apresentar à Secretaria. Se der certo, teremos a aeronave, caso contrário, não iremos adiante”, diz.
A guarda municipal ainda não sabe se conseguirá os recursos junto ao governo federal, mas até já tem um nome para a aeronave: Anjo da Guarda. Com o helicóptero, segundo Couto, o atendimento feito pelo 153 englobaria principalmente atividades de fiscalização: trânsito, utilização inadequada do espaço público, utilização de drogas ilícitas, arrombamentos, furtos e danos aos bens públicos.
A dinâmica, e a organização do trabalho com a aeronave ainda não estão definidas pela guarda. “Para planejar o restante precisamos saber primeiro se o projeto será aprovado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública”, explica o comandante.
Trânsito, Defesa Civil e ocupação desordenada do solo.
Ivan avalia que, com a aquisição da aeronave e com a formação dos agentes como pilotos, o atendimento feito pelo 153 englobaria principalmente atividades de fiscalização: trânsito, utilização inadequada do espaço público, utilização de drogas ilícitas, arrombamentos, furtos e danos aos bens públicos.
Ainda segundo o comandante, o projeto está dentro dos planos de expansão da guarda em Florianópolis, como aumento de efetivo e viaturas. A aeronave ainda não é considerada uma prioridade para o órgão, mas um equipamento de serviço que precisa ser conquistado para os próximos anos. “Precisamos avançar muito, mas algum dia tínhamos que começar a pensar nisso. Afinal, uma aeronave substitui até 25 viaturas”, diz Ivan.
Guarda Municipal agiria como fiscalizadora do município
Criada em 2004 com base na Constituição Federal, a Guarda Municipal de Florianópolis conta com 150 agentes e 12 viaturas, que além de gerenciar e monitorar o trânsito, também auxilia nas ocorrências da Policia Militar, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil.
De acordo com Ivan, hoje a guarda agiria como um corpo de fiscalização do município. “Não trabalhamos somente com o trânsito, precisamos ajudar a cuidar do patrimônio, das pessoas e até de questões ambientais como ocupação desordenada”, diz Ivan.
Aeronave seria equipamento principal da fiscalização
Ivan avalia que, com a aquisição da aeronave e com a formação dos agentes como pilotos, o atendimento feito pelo 153 englobaria principalmente atividades de fiscalização: trânsito, utilização inadequada do espaço público, utilização de drogas ilícitas, arrombamentos, furtos e danos aos bens públicos.
A dinâmica e a organização do trabalho com a aeronave ainda não estão definidas pela guarda. “Para planejar o restante precisamos saber primeiro se o projeto será aprovado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública”, explica Ivan.
Publicado em 29/03-09:09 por:
Fábio Bispo. Atualizado em 02/04-22:33


fonte: clique aqui

Postagens Relacionadas

0 comentários:

Anterior Página inicial Proxima
Tecnologia do Blogger.