CGU EM ILHÉUS

14:53 GCM Barbosa 0 Comentarios

O Sindgurdas-BA,Sindicato dos Guardas Civis do Estado da Bahia, após  protocolar denuncia no Ministério Publico Federal, contra a Prefeitura Municipal de Ilhéus,  em maio de 2012, denunciando diversas irregularidades observadas na aplicação do recurso no valor de R$ 606,715,20 (seiscentos e seis mil setecentos e quinze reais e vinte centavos) destinado pelo Fundo Nacional de Segurança Publica, para qualificação  e restruturação da Guarda Civil Municipal de Ilhéus, formou naquele mesmo mês,  uma comissão de Guardas Civis Municipais de diversas cidades da Bahia, entre elas: Jequié, Buerarema, Eunápolis,Porto Seguro, Itabuna,  e dirigiram-se a  Brasília, onde entregaram em mãos, a mesma denuncia a Secretaria Nacional de Segurança Publica em exercício Drª Cristina  Groes Villa Nova.
Nas varias denuncias citadas pelo Sindguardas-BA, está a forma aleatória com que foi gasto recurso, sem ter seguido o cronograma determinado no projeto que foi elaborado pela prefeitura e aprovado pela SENASP, o que determinou a aprovação e liberação do valor acima citado, a não istalação da central  de monitoramento, apesar de quase a dois anos se encontrar adquirida, o não uso de equipamentos de uso permanente como impressora e computador, e ainda toda novela que envolveu a regularização do veiculo cabine dupla adquirida em outro estado, que ficou no patio da prefeitura a mais de um ano sem licenciamento.
Por conta das denuncias, uma equipe da CGU (Controladoria Geral da União) estiveram na cidade Ilhéus, no ultimo mês de outubro e estiveram vistoriando alguns setores da Guarda Civil Municipal, o qual confirmaram a veracidade das denuncias.
Diante disto foi, foi determinado um prazo para que a prefeitura sanasse as irregularidades encontradas, e pelo que parece, está encontrando dificuldades para concertar o que começou errado.
Para o presidente do Sindguradas-BA, Pedro de Oliveira, o sindicato apenas cumpriu seu papel, que tambem é o de todo cidadão, que é fiscalizar e denunciar possiveis irregularidades, cabendo aos orgãos competentes a apuração e aplicação das leis, disse ainda, que as denuncias foram provinientes de varias observações dos próprios Guardas Civis Municipal, que acompanharam atentamente toda trajetoria e como estava sendo direcionado e utilizado os recursos destinados a categoria.
Só para lembrar: que por conta da irresponsabilidade e falta de compromisso dos gestores(secretários) que estiveram a frente da Guarda Civil Municipal nos últimos dois anos, a GCMI deixou de ser contemplada com uma segunda parcela de aproximadamente R$ hum milhão de reais em 2012, por não ter sido feito a prestação de contas da primeira parcela.

Postagens Relacionadas

0 comentários:

Anterior Página inicial Proxima
Tecnologia do Blogger.